Notícias

Hospital de Ceará-Mirim recebe visita do Sinmed RN após denúncia do fechamento da obstetrícia

10 fev 21

Hospital de Ceará-Mirim recebe visita do Sinmed RN após denúncia do fechamento da obstetrícia

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed RN) visitou, na manhã desta quarta-feira (10), o Hospital Municipal Dr. Percílio Alves de Oliveira, no município de Ceará-Mirim.

O hospital teve as atividades de obstetrícia suspensas nas últimas semanas e era o principal destino de grávidas do município e de mais 21 municípios próximos. O serviço funcionava com  uma equipe de 2 médicos obstetras, 1 médico pediatra e 1 médico anestesiologista, além da equipe de enfermeiros e técnicos.

A unidade já sofria com a falta de pagamento de alguns municípios, que arcavam com 60% dos custos dos serviços de obstetrícia, enquanto o Governo do Estado arcava com os outros 40%. Com o aumento dos custos para manter o serviço, o secretário de saúde do RN, Cipriano Maia, alegou que o estado não teria condições de arcar com mais recursos e determinou a transferência das equipes médicas para o Hospital Regional de Macaíba.

Em reunião realizada com o secretário de saúde na última segunda-feira (08) foi definida a reabertura dos serviços. A Prefeitura de Ceará-Mirim vai abrir uma chamada pública para convocar novos profissionais e a expectativa é de que até o início de abril o atendimento volte ao normal.

O Hospital Municipal Dr. Percílio Alves de Oliveira é bem estruturado, totalmente equipado e abastecido. Não falta material e nem insumos. De acordo com a diretora da unidade, Jumaria Mota, o hospital realizava cerca de 6 cesarianas e 12 partos normais por dia.

“É um absurdo que essa estrutura fique parada. É um desperdício de recurso público que foi investido no hospital e uma falta de respeito com as pacientes que precisam se deslocar para tão longe para terem os seus filhos”, disse Geraldo Ferreira, Presidente do Sinmed RN.

Após a visita ao hospital, Geraldo Ferreira se reuniu com o Prefeito de Ceará-Mirim,  Júlio César Câmara, que também tem interesse na reabertura da ala obstétrica, mas informou que precisa da ajuda do estado para manter a estrutura e o serviço.

O Sinmed vai acompanhar o processo de reabertura da maternidade e cobrar soluções das autoridades responsáveis até que tudo volte ao normal.

Fonte: Sinmed RN