Notícias

Falta de EPIs podem prejudicar em massa a classe médica, diz Geraldo Ferreira

31 mar 20

Falta de EPIs podem prejudicar em massa a classe médica, diz Geraldo Ferreira

O presidente do Sinmed RN, Geraldo Ferreira, fala sobre proteção para os médicos e a comunidade. Confira:

“Uma preocupação constante no Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed RN) tem sido a proteção dos profissionais nos seus locais de trabalho. Ao menos 20% dos trabalhadores da saúde se contaminaram nas primeiras semanas em Portugal. Muitos morreram na Espanha e Itália. No Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo, a categoria tem sido atingida. No Rio Grande do Norte, em Natal, quatro médicos estão em UTIs e, em Mossoró, há médicos contaminados.

Recebemos diariamente queixas de falta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). As Secretarias dizem que fizeram compras, o que corresponde ao que nos informaram os fornecedores desses equipamentos. Eles nos passaram também outras informações relevantes: as compras de máscaras, luvas e kits mais completos demora algum prazo para ser atendida, mesmo com a urgência, e respiradores, camas e equipamentos de UTI levam algum tempo para chegarem e treinarem o pessoal.

Foi colocado com preocupação que máscaras, hoje, para se importar da China, custa mais caro que produzir no Brasil e há uma preocupação com luvas que podem vir a ter problemas de abastecimento, já que 80% vem da Malásia. Quanto ao custo, para se ter uma ideia, a caixa de máscaras subiu de 4,90 para 37,00, já a caixa de luvas saltou de 11,00 para 24,00, com uma possibilidade de chegarem, segundo esses fornecedores, a até 100,00 a caixa. O Teste do Coronavírus, hoje, sai a um custo individual 180,00, em média, mas eles estão registrando na Anvisa um teste rápido chinês que pode custar 55,00.

São informações para entendermos a crise global e o risco a que os médicos e profissionais de saúde estão correndo no seu dia a dia de enfrentamento ao Coronavírus. O Sinmed RN continua atento, acompanhando e cobrando os equipamentos de proteção aos médicos, trabalhadores de saúde e à população, que deve seguir seu isolamento social, reforçar as medidas de higiene, usar o álcool gel e se proteger com máscara nas ocasiões de exposição a contatos como em supermercados, unidades de saúde e ônibus, entre outros. Assim fez a China com bons resultados.”

 

Geraldo Ferreira – Presidente do Sinmed RN. 

Fonte: Geraldo Ferreira Filho