Diversos

Desativação da enfermaria de pediatria

09 nov 07

Cerca de 25.000 à 30.000 crianças serão afetadas. Este são os números do atendimento anual feito pelo PS da pediatria do Walfredo Gurgel.  Apesar que só uma pequena parte destas crianças precisem serem internadas, a decisão da SESAP poderá ter consequências que preocupam toda a classe médica.

E o impasse continua. Declarações recentes feitas à imprensa escrita e falada pelo diretor do Hospital Walfredo Gurgel, Renato e pelo secretário de saúde do estado, Adelmaro, confirmam que a SESAP irá continuar seus planos de desativar os leitos de pediatria daquela instituição.

A medida já criticada pelo Sindicato dos Médicos, não trará benefícios para a população. Estudos feitos pelo Sindicato já demonstraram um déficit estadual de leitos hospitalares que chega a casa dos 2.500 leitos (uma vez considerada a relação de 3 leitos para cada 1.000 habitantes).   

Pediatras da instituição afirmam que os dados apresentados pela SESAP são errôneos. A taxa de ocupação para a enfermaria chega à quase 100% em determinados meses do ano. Independente disto a SESAP precisa compreender que hospital não é hotel e portanto não se deve mirar em ocupação máxima, pois epidemias existem, bem como acidentes não previstos, se fosse assim deveríamos desativar o corpo de bombeiros, o qual sempre fica de prontidão.

O certo é a ampliação da rede de leitos no estado e não o desmanche. Além do que um susbstancial nº de crianças que residem nesta parte da cidade serão penalizados ao não poderem mais dispor da referida enfermaria.

A eliminação da enfermaria de pediatria do Walfredo esconde um outro problema, a falta de pediatras no Maria Alice Fernandes. A secretaria acena com concurso apenas para início do 2º semestre de 2008 quando então teria uma oportunidade real de solução de um problema crônica que é a falta de pessoal.