Diversos

Avanço da gripe H1N1 preocupa médicos do RN

02 dez 09

A falta de leitos em Natal e no interior do estado é uma realidade que vem preocupando o Sindicato dos Médicos do RN. Em Mossoró, os casos de dengue não param de crescer assustando a população. Na capital, a disseminação da gripe H1N1  deixa os moradores em estado de alerta, principalmente com a realização de um evento grandioso como o Carnatal em que milhares de pessoas estarão aglomeradas em um mesmo espaço.

De acordo com dados oficiais da Secretaria Estadual de Saúde (SESAP), já foram confirmados 75 casos da doença, sendo dez com vítimas fatais. Extra-oficialmente os casos podem ultrapassar as estatísticas das autoridades de saúde pública. O número exato parece não ser conhecido dos natalenses, mas uma coisa é certa: a cidade não oferece número de leitos suficientes para atender o aumento da demanda em virtude de uma possível epidemia da doença.  
Como se não bastasse esta situação, na semana passada o Conselho Regional de Medicina (CREMERN) interditou duas alas do Hospital Walfredo Gurgel que funcionavam como UTI, mesmo sem a presença permanente de médicos para acompanhar e tratar os pacientes. Ou seja, além de leitos, não há também profissionais suficientes para atender à população nas unidades públicas.
Na opinião do presidente do Sinmed/RN, Dr. Geraldo Ferreira, a melhor solução já tantas vezes discutida com os gestores é uma carreira de médico urgentista com um salário decente e condições de trabalho satisfatórias. “Os leitos privados podem ser uma solução emergencial, mas enquanto o SUS paga por uma diária de UTI um valor aproximado de R$ 400,00, uma diária a ser paga pelo estado a um hospital privado não será menor que R$ 1.000,00”, diz ele. Ainda assim os leitos, sejam de enfermaria ou UTI, não estão disponíveis em quantidade suficiente na rede privada. Um quadro que não só preocupa, mas se agrava com o passar dos anos.
Saiba mais sobre a Gripe H1N1
Prevenção:
– Cubra seu nariz e boca com um lenço quando tossir ou espirrar. Jogue no lixo o lenço após o uso. 
 
– Lave suas mãos constantemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar. Produtos à base de álcool para limpar as mãos também são efetivos. 
 
– Evite tocar seus olhos, nariz ou boca. Os germes se espalham deste modo.
 
– Evite contato próximo com pessoas doentes. 
 
– Se você estiver doente, fique em casa e limite o contato com outros, para evitar infectá-los.
 
Sintomas:
 
– Febre acima de 38º
 
– Prostração (fraqueza)
 
– Falta de apetite e tosse.
 
– Algumas pessoas com gripe suína também apresentam coriza, garganta seca, náusea, vômito e diarreia.