Notícias

Médicos do município se reúnem com o Secretário de Saúde de Natal

04 dez 19

Médicos do município se reúnem com o Secretário de Saúde de Natal

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed RN), juntamente com os médicos estatutários do município, se reuniram na manhã desta quarta-feira (4) com o Secretário de Saúde de Natal, George Antunes, para darem início as negociações entre a prefeitura e a categoria médica.

Na ocasião os médicos manifestaram suas insatisfações relacionadas às más condições de trabalho e remuneração. Em dezembro de 2019 fazem 11 meses que a gratificação correspondente a 50% do salário da categoria não é paga. Além disso, o acordo que foi realizado em 2018, previsto no Plano de Cargos, Carreiras, Salários e Vencimentos (PCCV), que garantia um reajuste gradual de 10% nos salários, até 2022, também não foi cumprido.

George Antunes ouviu as reivindicações dos médicos e afirmou: “eu quero muito propiciar meios de vocês voltarem a trabalhar o quanto antes”. O secretário se comprometeu em viabilizar soluções que atendam a necessidade da categoria.

Após a reunião com os médicos, George Antunes foi se reunir com a Secretária da Administração, Adamires França. A previsão é que o secretário retorne o contato com o Sinmed RN apresentando possíveis propostas até o final do dia.

O Presidente do Sinmed RN, Geraldo Ferreira, destacou que a prefeitura precisa assumir essa responsabilidade: “É um débito que a prefeitura tem com os médicos. Ela jamais poderia passar 10 meses atrasando uma gratificação que está prevista no edital e é justa”, disse.

Ainda de acordo com Geraldo Ferreira, os médicos estão abertos a negociações: “A implementação do PCCV que está praticamente suspensa, precisa ser retomada. A justiça já determinou que a tabela de 2019 precisa ser executada, atualmente os médicos recebem de acordo com a tabela de 2016. Essa implementação tem que ser imediata, já a questão do atraso pode ser negociada”, finalizou.

A categoria aguarda o retorno do Secretário de Saúde para proceder com as negociações. Enquanto isso, os médicos seguem em greve sem previsão de retorno às atividades. 

Fonte: Sinmed RN