Notícias

Médicos de Natal foram às ruas contra declarações de Ricardo Barros

03 ago 17

Médicos de Natal foram às ruas contra declarações de Ricardo Barros

Foto: Sinmed RN

Durante a tarde de hoje (03) os médicos de Natal foram às ruas exigir #RESPEITOAOMÉDICO, contra declarações do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, que agridem a categoria médica, colocando-a como responsável pelas deficiências d a saúde pública.

O #RESPEITOAOMÉDICO é um movimento nacional, e tem como organizadoras as entidades Confederação Nacional dos Médicos (CNM), Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e os sindicatos médicos de todos os estados.

Em Natal, o ato foi organizado pelo Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed RN), Associação Médica (AMRN), e Conselho Regional de Medicina (CREMERN). A concentração aconteceu às 15h na sede do sindicato e, em seguida, os médicos seguiram em caminhada até o CREMERN, onde foi finalizado o ato com o hino nacional.

Com relação às declarações do Ministro, Lêda Pandolphi, diretora do Sinmed RN, afirma que “o Ministro disse que nós fingimos que trabalhamos, mas é o Ministro quem finge ser gestor, que finge dar saúde a população”.

“É importante a conscientização da sociedade porque a mídia e os gestores criam uma imagem muito negativa do médico e, realmente, alguns acham que não trabalhamos, não nos empenhamos. É importante que a população saiba que a saúde está sendo negada, saiba da redução de leitos hospitalares, da  redução de hospitais, da ausência de material para trabalho e que se conscientizem disso e se juntem a nós  para reivindicar a melhoria na saúde”, disse Lêda Pandolphi.

O presidente do CREMERN, Marcos Lima, disse que o Ministro precisa conhecer melhor a saúde do país. “Provavelmente o Ministro nunca precisou usar a saúde pública. E não podemos deixar que pessoas que não têm conhecimento técnico, como um engenheiro, nos agridam. Ele é o chefe maior da saúde desse país e precisa nos respeitar”, afirmou.

Além da resposta  às agressões do Ministro, os médicos de Natal foram às ruas contra os atrasos salariais da categoria e o sucateamento da saúde.

“Essa foi a grande marcha dos médicos do Brasil contra o descaso da saúde, o fechamento de leitos , fechamento de UTI  e contra nossos pagamentos atrasados”, afirmou a médica Soraia Godeiro.

BRASÍLIA

Na tarde desta quinta-feira (3), a diretoria da CNM e da Fenam também participaram de audiência com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, com o objetivo de levar as reivindicações da classe médica por melhores condições de trabalho e também de atendimento ao povo brasileiro. Na oportunidade, foi registrado o protesto contra a forma agressiva como essa autoridade tratou os médicos brasileiros através de seus pronunciamentos.

Fonte: Sinmed RN